quinta-feira, 30 de outubro de 2008

EFEITOS DA GRANDE DEPRESSÃO DOS ANOS TRINTA




















O empazinamento económico gerou a fome humana, e a queda verificada na Bolsa de Valores "limpou"como uma varinha mágica, cerca de 16000 milhões de dólares em títulos, o que abalou todo o mundo capitalista: no nosso país faliram uns 5700 bancos, e em 1933 cerca de 17 milhões de trabalhadores americanos percorreriam as ruas desoladas, desempregados.
Uma parte tão grande da América estava confusa, a olhar para a esquerda e para a direita! Nas ricas terras de lavoura do Sul da Indiana vi uma cena que dir-se-ia resumir tudo. Um jovem agricultor de ombros largos avançava ruidosamente pela estrada fora, a conduzir muito a sério uma geringonça nascida da depressão: um Ford cortado ao meio, com um cavalo atrelado à metade traseira, a que tinham sido acrescentados varais. (...) "Não há dinheiro para a gasolina ", explicou o homem laconicamente, "mas a erva é de graça, ou pelo menos era da última vez." Em Duluth, cidade rainha à cabeceira de Lagos, procurei o organizador do Conselho de Desempregados, um homem da terra, que me falou das glórias da sua cidade antes da depressão (.. .). Deu-me o braço e conduziu-me ao longo das margens do lago Superior: Bateu à porta e uma pobre mulher finlandesa, talvez dos seus sessenta anos, veio abrir a limpar as mãos no avental. O homem disse-lhe que no dia seguinte haveria uma manifestação de protesto na Câmara Municipal e perguntou-lhe se ela iria e se contaria a sua história (...).
A mulher ajeitou com a mão as farripas soltas do cabelo esbranquiçado e convidou-nos a entrar na cozinha, onde havia um fogão tristemente apagado.
Disse que o marido partira para Meneápolis há sete meses, à procura de trabalho, mas não arranjara nada? Os poucos dólares que começara por mandar tinham deixado de chegar e o posto de auxílio da cidade também deixara de ajudar: "E agora?", perguntou-lhe o organizador: "E agora não há nada." O homem desviou os olhos e disse que um amigo comum informara o Conselho dos Desempregados de que ela matara o seu cão para comer. Os olhos azul-claro da mulher fitaram-nos sem pestanejar; e ela explicou:
"Tenho três filhos; era o Óscar ou eles. Não comemos mais nada durante cinco dias", as crianças tinham saído à cata de comida. Apontou uma pequena cruz de madeira junto da cerca e acrescentou: "Os pequenos enterraram os ossos de Óscar: Foi a sua mascote durante muito tempo ".Joseph North, in Nenhum Homem é Estrangeiro


Enumere os efeitos da Grande Depressão representados nas imagens.

Após a leitura do texto do jornalista Joseph North, indique os problemas sociais criados pela grande depressão.

11 comentários:

Anónimo disse...

A Grande Depressão, foi uma grande depressão económica que teve início em 1929, e que persistiu ao longo da década de 1930, terminando apenas com a Segunda Guerra Mundial. A Grande Depressão é considerada o pior e o mais longo período de recessão económica do século XX. Este período de depressão económica causou altas taxas de desemprego, quedas drásticas do produto interno bruto de diversos países, bem como quedas drásticas na produção industrial, preços de acções, e em praticamente todo medidor de actividade económica, em diversos países no mundo. O dia 24 de Outubro de 1929 é considerado popularmente o início da Grande Depressão, mas a produção industrial americana já havia começado a cair a partir de Julho do mesmo ano, causando um período de leve recessão económica que se estendeu até 24 de Outubro, quando valores de acções na bolsa de valores de Nova Iorque,( a New York Stock Exchange), caíram drasticamente, desencadeando a Quinta-Feira Negra.
Esta quebra na bolsa de valores de Nova Iorque piorou drasticamente os efeitos da recessão já existente, causando grande inflação e queda nas taxas de venda de produtos, que por sua vez obrigaram o fechamento de inúmeras empresas comerciais e industriais, elevando assim drasticamente as taxas de desemprego.
Os efeitos da Grande Depressão foram sentidos no mundo inteiro. Estes efeitos, bem como sua intensidade, variaram de país a país. Outros países, além dos Estados Unidos, que foram duramente atingidos pela Grande Depressão foram a Alemanha, Austrália, França, Itália, o Reino Unido e especialmente o Canadá. Porém, em certos países pouco industrializados naquela época, como a Argentina e o Brasil (que não conseguiu vender o café que tinha para outros países), a Grande Depressão acelerou o processo de industrialização.
Os efeitos negativos da Grande Depressão atingiram seu ápice nos Estados Unidos em 1933. Neste ano, o Presidente americano Franklin Delano Roosevelt aprovou uma série de medidas conhecidas como New Deal. O New Deal, juntamente com programas de ajuda social realizados por todos os estados americanos, ajudou a minimizar os efeitos da Depressão a partir de 1933.



11ºE Nº6

Anónimo disse...

A crise económica não era,como inicialmente se tinha julgado,uma crise passageira.transformou-se,sim,na grande depressão,do sistema capitalista.Após a leitura do texto,pode-se verificar que a crise,não se ficou apenas, no país de origem(EUA).Teve uma dimensão praticamente mundial,não lhe escapando quase nenhum país,com excepção da URSS.
A rapidez com que a crise se alargou, dos EUA para o resto do mundo deveu-se,essencialmente a dois factores:
-Retirada dos capitais americanos investidos na Europa,o que levou a que muitos bancos falissem ou tivessem sérias dificuldades.

-contracção do comércio mundial:com a crise, a maior parte dos países, reduziu ao máximo as suas compras no estrangeiro.o que fez com que muitos países não conseguissem escoar os seus produtos,quer industrial quer de matérias primas.
Os grandes problemas sociais que surgiram após a depressão foram:
-Uma enorme miséria atingiu as cidades e os campos;
-milhares de agricultores foram a ruína e tiveram de deixar as suas terras a procura de trabalho;
-Os produtores destruíam muitos alimentos,na esperança de assim aumentarem os preços;
-Muitos pequenos e médios industriais perderam os seus bens,e tiveram de se tornar assalariados;
e por fim todos esses factores levaram á um aumeto significativo da taxa de desemprego a escala mundial.
Terminando o comentário,gostaria que essa situação não voltasse a repetir,embora a miséria ainda permaneça em muitos países africanos e asiáticos.

Leopoldina Sá

Anónimo disse...

A grande depressão dos anos 30 teve os seus efeitos por todo o mundo. Com as elevadas taxas de desemprego que se verificavam e os elevados preços dos bens essenciais, muitas famílias não tinham alimentos para pôr na mesa. Viviam na miséria. As famílias passavam fome e muitas delas, na esperança de encontrar um emprego, migravam para outros sítios à procura de uma oportunidade.
A crise veio fazer com que inúmeros bancos fossem à falência e as pessoas não tinham dinheiro para nada. Para saciar a fome, muitas pessoas recorriam a tudo aquilo que encontrassem e que fosse comestível, como é um bom exemplo a senhora de que fala o texto, que não tinha comer para pôr à mesa para os filhos, enquanto que muitos produtores, na esperança que o preço dos produtos aumentasse, os destruíam.

Felizmente que, com o New Deal, houve uma progressiva melhoria das condições e uma melhor qualidade de vida.


Nº7 11ºE

Anónimo disse...

A crise da economia americana, iniciou-se em 1929, teve uma dimensão mundial. Esta depressão é considerada o pior e o mais longo período de recessão económica do século XX.
Pôs fim aos “anos loucos”, de prosperidade económica e ao culto do “estilo de vida americano” baseado no consumismo.
Esta crise fez-se sentir em todos os sectores da economia e esteve relacionada com a superprodução que se repercutiu na deflação, metendo em causa o capitalismo liberal. A indústria automóvel foi a primeira a mostrar sinais de crise e a ser obrigada a reduzir a produção por não conseguir escoamento para os seus stocks. De imediato, ressentiram-se as industrias metalúrgicas de base e, a 24 de Outubro de 1929, na “Quinta-Feira Negra”, deu-se o crash na Bolsa de Wall Street, ao serem colocadas no mercado 16 milhões de acções a baixos preços que não encontraram compradores. A crise financeira alastrou-se à agricultura e à indústria. Gerou desemprego a milhões de pessoas, arruinou milhares de comerciantes e agricultores, quedas drásticas do produto interno bruto de diversos países, provocou a falência de numerosas empresas e bancos e multiplicou-se as tenções sociais. Na Europa também se sentiram os efeitos da depressão. Conseguiu-se ultrapassar a crise graças à política económica conhecida como New Deal, aplicada pelo presidente norte-americano Franklin D.Roosevelt a partir de 1933 na segunda guerra mundial. As medidas criadas com esta nova politica baseavam-se noutros domínios tais como:
*Protecção da natureza e de reflorestação;
*Regulamentação de obras públicas;
*Fiscalização e protecção do sistema bancário;
*Incentivo à construção de habitação a custos controlados, contribuindo para a recuperação do sector da construção civil;







Diana Neves

nº12, 11ºD

Anónimo disse...

Os efeitos da Grande Depressão foram a extrema pobreza que se abateu na população americana, o que gerou também a fome a uma grande escala na população.
Os problemas sociais desta depressão foram principalmente a fome e a pobreza, que levaram a que as pessoas tivessem que ingerir coisas que nunca comeriam um exemplo deste caso que se encontra neste texto é o de uma mulher que não tendo mais nenhum alimento para sustentar os seus filhos, teve que matar o seu cão para não morrerem á fome; outro factor foi a necessidade de migrar, devido á escassez de emprego e á necessidade das pessoas se alimentarem.
Nº2
11ºE

Anónimo disse...

O dia 24 de Outubro de 1929 é considerado popularmente o início da Grande Depressão, mas a produção industrial americana já havia começado a cair a partir de Julho do mesmo ano, causando um período de leve recessão económica que se estendeu até 24 de Outubro, quando valores de acções na bolsa de valores de Nova Iorque,( a New York Stock Exchange), caíram drasticamente, desencadeando a Quinta-Feira Negra. A grande depressão económica que teve início em 1929, e que persistiu ao longo da década de 1930, terminando apenas com a Segunda Guerra Mundial. A Grande Depressão é considerada o pior e o mais longo período de recessão económica do século XX. Este período de depressão económica causou altas taxas de desemprego, quedas drásticas do produto interno bruto de diversos países, bem como quedas drásticas na produção industrial, preços de acções, e em praticamente todo medidor de actividade económica, em diversos países no mundo.

Nº13 11ºE

daniel disse...

"Em momentos de crise, só a imaginação é mais importante que o conhecimento."
Albert Einstein

Nas primeiras quatro imagens estão reflectidas as formas como a grande depressão afectou os campos agrícolas nos Estados Unidos. Vemos famílias desesperadas, pois os campos não rendem, é tudo um ciclo vicioso: a produção e o consumo descem, as empresas abrem falência, o desemprego cresce, é quase um quarto da população activa, agravando mais as vendas, provocando mais falências.
Os agricultores são os mais atingidos, ficam arruinados, são expropriados, tornam-se errantes. John Steinbeck descreve bem a situação no seu livro: “As vinhas da ira”. A fome, o êxodo rural, muitos agricultores abandonam os campos, que já não produzem, pois como se não bastasse a crise, o ano de 1929 foi de grandes secas, muitos campos ficaram destruídos.
Nas cidades, competem por postos de trabalho com outros desempregados, reina o caos. Quem rejeita abandonar os campos morre à fome, bem retratou Joseph North, no seu livro “Nenhum Homem é Estrangeiro”, onde a desgraçada mulher teve de matar o cão, para alimentar os filhos. Os bancos faliram, levando as poupanças das famílias, destruindo empresas, gerando o desemprego. Nem tão pouco havia dinheiro para a gasolina, no texto retrata como um jovem agricultor, sem meio de abastecer o depósito do seu automóvel, atrelou-lhe um cavalo, “mas a erva é de graça, ou pelo menos da última vez”, são as suas palavras. O desespero é tanto, que mesmo o mais insignificante produto alcança preços incoerentes. John K. Galbraith, economista e historiador americano, fala de «louco e desenfreado pandemónio para vender» e de «pavor cego e sem piedade».
A foto mais famosa da época é Dorothea Lange, uma “migrant mother” na Califórnia, mostrando a miséria nos campos. Uma mãe, com a mão sob o queixo, sentada, com os dois filhos. Note-se as roupas esfarrapadas, mendigando nos inúmeros bairros de lata que se erguiam um pouco por todo o lado, casas improvisadas para quem não desejava dormir ao relento.
Nem tão pouco havia lume para aquecer. Neste ambiente muitas eram as manifestações daqueles que pediam por mudança. Fala-se em comunismo, na URSS via-se a crise como o começo da “revolução proletária mundial”. A grande depressão depressa afectaria o mundo inteiro, por toda a Europa erguer-se-iam regimes autoritários e militaristas, o Japão começaria a sua expansão no oriente, e a Alemanha voltaria a erguer-se da cinzas para uma “segunda” conquista mundial.
É preciso uma mudança política, Franklin D. Roosevelt virá mais tarde com uma nova política económica, mas até chegar o dia, os americanos viverão o “pesadelo americano”.
Grandes e pequenos milionários, assim como seus motoristas, encontram-se subitamente na miséria. Antes do meio dia, uma dúzia suicida-se, lançando-se muitas vezes duma janela. Um episódio curioso passava-se no luxuoso hotel Waldorf Astoria, onde o porteiro perguntava aos clientes que pediam um quarto: «É para dormir ou para saltar?»


Bibliografia:
Memória do Mundo das origens ao ano 2000, sob a direcção de Nadeije Laneryrie-Dagen, edição Círculo de Leitores.
História do Século XX década a década – 1930/1939 (volume 4); direcção científica do Prof. Doutor António Reis; edição Temas e Debates, colecção VISÃO.

Anónimo disse...

Os efeitos da grande depressãodemonstrados nas imagens são a miséria das famílias devido ao desemprego e a partida dos homens à procura de trabalho para sustentarem a família ;

Marisa Maganinho
11ºD º17

Anónimo disse...

Quinta questão - Após a leitura do texto do jornalista Joseph North, indique os problemas sociais criados pela grande depressão .
O declíneo económico; a queda na Bolsa de Valores que deitou “ abaixo” a milhões de dolares em títulos; São os factores sociais que levaram à grande depressão identificados no texto.
Após estes factores foram surgindo mais e mais factores que causaram a miséria total perante a população.

Marisa Maganinho
11ºD Nº17

Anónimo disse...

Os efeitos da Grande Depressão qe estiveram envolvidos com a população americana foram a enorme pobreza, a qual originou a fome que se abateu de uma forma extrema.


Com a leitura de Joseph North, pode-se concluir que os problemas sociais desta Depressão foram a extrema pobreza, a fome e também a necessidade de muitas pessoas terem que imigrar para longe.
A população não tinha o que comer, nem tinha como dar de comer aos seus filhos, portanto, tentava assim imigrar para outros países há procura de alimentação.
Ainda assim, muitas destas pessoas optavam por continuar ali e arranjavam outras soluções como matar algum animal pois, já que a fome apertava, esta iria servir se solução pelo menos para tirar a fome dos seus filhos.

Nº4 11ºE

veve disse...

Exelente site, bem esplicativo e resumido.
Me serviur para muitas coisas.
Grata Volto sempre ,