segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

PORTUGAL - ESTADO NOVO






O Estado Novo
A revolta de 28 de Maio de 1926 põe fim à Primeira República portuguesa: dissolve as instituições políticas democráticas, extingue os partidos políticos e instaura uma ditadura militar. Se o movimento congregava de início diversas facções ideológicas desde republicanos conservadores a fascistas, depressa a figura do Ministro das Finanças nomeado em 1928, Oliveira Salazar, se irá definir como a principal referência política do novo regime.
Sem rejeitar teoricamente a forma republicana de governo, a nova Constituição de 1933 e as revisões de que foi objecto consagrava um Estado forte, recusando o demo-liberalismo; o nacionalismo corporativo, o intervencionismo económico-social e o imperialismo colonial constituíram as linhas mestras de um sistema de governo que, sobretudo a partir da Guerra Civil de Espanha, se caracterizou pela censura férrea das opiniões discordantes e pela repressão dos seus opositores. A pedra base de aplicação de tais métodos é constituída pela polícia política salazarista a PIDE.
O que não impediu, porém, que, em 1958, a candidatura do general Humberto Delgado em oposição ao candidato do regime, Américo Tomás, apesar de derrotada, abalasse um regime que sobreviveu à morte de Salazar, ocorrida em 27 de Julho de 1970.
O seu sucessor, Marcelo Caetano, apesar de uma prometida e apaziguadora liberalização do sistema político, não consegue mais que uma mudança de nomes nas instituições repressivas e, sobretudo, vê-se a braços com as graves consequências de uma guerra colonial que se prolongava desde 1961. O que esteve, aliás, na origem de um novo movimento militar que, no dia 25 de Abril de 1974, irá depôr o governo e conduzir à restauração da democracia.
historia25.no.sapo.pt/


















- RETIRE DO TEXTO AS PALAVRAS QUE CARACTERIZARAM O ESTADO NOVO.
- QUE SOMBOLOGIA FOI UTILIZADA NO CARTAZ DE PROPAGANDA À VOTAÇÃO NA UNIÃO NACIONAL?

28 comentários:

Emanuel Melo disse...

Palavras que retratem o Estado Novo: Nacionalismo, Fascismo, Oliveira Salazar, Américo Tomás, Humberto Delgado (victíma do Estado Novo), Marcelo Caetano, PIDE, Instituições Repressivas e Guerra Colonial. Imagens utilizadas na propaganda do Estado Novo, são imagens alusivas aos valores históricos de Portugal, como a formaçao do reino português com D. Afonso Henriques e os Descobrimentos.

Emanuel Melo

Anónimo disse...

As palavras que retirei do texto que caracterizaram o ESTADO NOVO são as seguintes:

-Oliveira Salazar;
-Fascismo;
-Nacionalismo;
-Intervencionismo económico-social;
-Imperialismo;
-Constituição (1933);
-PIDE;
- Instituições Repressivas;
- Guerra Colonial;
-Humberto Delgado;
-Marcelo Caetano;

*Para finalizar, a simbologia que foi apresentada no cartaz de propaganda à votação na União Nacional são imagens que possuem um discurso próprio podendo reproduzir ou apenas simular uma circunstância ou acontecimento. Assim sendo, observa-se que a imagem apresentada é tudo, pois facilitará ou dificultará o entendimento e aceitação de propostas. Quanto à mensagem, envolve um convite à acção aceitando uma nova ideia politica.



Diana Neves

Anónimo disse...

Estado Novo, quarenta anos de opressão política e de implementação da ignorância como característica princpal de um povo na sua maioria rural! A par de alguns países do resto da Europa, foi implementado em Portugal um regime político que se designa por Fascismo, que tem como objectivo, a regeneração de uma nação pura. Como consequência disso, são retirados direitos a pessoas que não estão dentro ou a favor dos parâmetros da ideologia política defendida por um regime autoritário, e que tem como meios de intervenção a violência e a censura. Num país onde as pessoas não têm direito a andar na escola e que servem e ajudam os mais velhos nos campos agrícolas, a ignorância era um factor favorável ao regime! A questão religiosa em Portugal nessa época era igualmente indiscutível a par da política, sendo o Estado Novo uma época em que o Catolicismo era a única religião aceitável por parte das autoridades governamentais. A figura principal destes anos de opressão e medo, é o Dr. António Olveira Salazar, que foi chamado para ministro das finanças em 1932, a partir daí foi subindo hierarquicamente até chegar a Presidente do Conselho de ministros. O melhoramento da economia nacional, foi o factor crucial que levou a que Salazar tivesse tanto poder. Como objecto de propaganda política, o Estado Novo usou acontecimentos históricos portugueses, como a fundação do reino português e como os Descobrimentos. Entretanto em 1961 surge a guerra colonial que de início era uma revolta dos "escravos" negros que trabalhavam para os portugueses nas colónias ultramarinas, e, que defendiam uma condição de vida melhor, esta guerra acabou como causa de morte de muitos portugueses que não sabiam a razão desta guerra e com a morte de muitos africanos que defendiam uma vida melhor. Esta guerra só termina em 1974 juntamente com o regime que esteve no activo durante 40 anos, sendo a ditadura que mais tempo durou na Europa. Durante estes 40 anos, não foi só na guerra colonial que morreram portugueses inocentes, muitos outros morreram, apenas porque não estavam de acordo com as políticas defendidas pelo Governo, e outros que morreram sem razão aparente. Foi uma das épocas mais tristes de Portugal, rasgando por completo um povo e deixando aberta uma ferida que ainda hoje dói nas almas daqueles que lutaram, supostamente, por Portugal e que hoje em dia não têm uma vida digna, que merecem sem contestação possível. Foram 40 anos de dor, sofrimento, atraso, medo, de ignorância, de injustiça e de opressão! Não permitemos que voltem a existir outros 40 anos assim. Sinto-me grato por poder exprimir publicamente o que sinto e que até agora não pude exprimir, sinto-me como um "revolucionário" que acabou de realizar uma pequena "revolução" aos olhos dos outros, mas que para mim significa muito e espero que para os outros sirva de exemplo.

Ass: David Melo nº 11 11ºE

Anónimo disse...

As palavras que retratam o Estado novo, no texto, são as seguintes:
Fascismo, PIDE, Nacionalismo, Guerra Colonial,Instituições repressivas, Oliveira Salazar(ministro das finanças), Américo Tomás, Humberto Delgado e Marcelo Caetano. Como propaganda ao Estado novo, foi utilizada a imagem de "um puzzle em construção", em que apenas falta a colucação de uma peça, que nos remete ao acto do voto.

Miguel Andrade 11ºD nº20

Anónimo disse...

Após a leitura do texto na minha opinião as palavras seguintes são as palavras que caracterizam o Estado Novo.
Instituições político democráticas;
Ditadura militar ;
Republicanos ;
Fascistas;
Oliveira Salazar;
Nova Constituição;
Demo-liberalismo;
Nacionalismo Corporativo;
Intervencionismo ;
Imperialismo Colonial;
PIDE;
Humberto Delgado;
Américo Tomás;
Marcelo Caetano;
Liberalização;
Restauração da Democracia;

Marisa Maganinho
11ºD

Anónimo disse...

No cartaz de votação na União Nacional é possível indentificar aspectos que tem como objectivo a aderência do público.
Como por exemplo ao fundo do cartaz está a seguinte inscrição “ Para que Portugal navegue sempre na Bonança”.
Esta expressão é uma das formas para levar a população a adeirir . Pois visto ser uma época de crise e restrições levam a que as pessoas queiram a mudança e uma boa qualidade de vida.

Marisa Maganinho 11ºD

Anónimo disse...

No texto estão presentes as seguintes palavras que caracterizam o estado novo, tais como:

-Fascismo
-Nacionalismo corporativo
-Oliveira Salazar
-Américo Tomás
-Humberto Delgado
-Marcelo Caetano
-PIDE
-Guerra colonial
-Instituições repressivas
-Intervencionismo económico-social
-Imperialismo colonial
-Constituição de1933
-Censura


Quanto a simbologia utilizada no cartaz de propaganda à votação nacional este quer relembrar à pátria os feitos dos portugueses, durante a época dos descobrimentos, nomeadamente nos séculos XV e XVI, em que o povo português teve um grande destaque e relevância relativamente aos outros povos concorrentes. Salazar utilizou aquelas imagens com o objectivo de iludir à população e conquistar a adesão do povo.



Leopoldina Sá
nº15 11ºE

Anónimo disse...

No texto estão presentes as seguintes palavras que caracterizam o estado novo, tais como:

-Fascismo
-Nacionalismo corporativo
-Oliveira Salazar
-Américo Tomás
-Humberto Delgado
-Marcelo Caetano
-PIDE
-Guerra colonial
-Instituições repressivas
-Intervencionismo económico-social
-Imperialismo colonial
-Constituição de1933
-Censura


Quanto a simbologia utilizada no cartaz de propaganda à votação nacional este quer relembrar à pátria os feitos dos portugueses, durante a época dos descobrimentos, nomeadamente nos séculos XV e XVI, em que o povo português teve um grande destaque e relevância relativamente aos outros povos concorrentes. Salazar utilizou aquelas imagens com o objectivo de iludir à população e conquistar a adesão do povo.



Leopoldina Sá
nº15 11ºE

Anónimo disse...

As palavras que se podem retirar do texto para caracterizar o Estado Novo são:

*Fascismo
*Oliveira Salazar
*PIDE
*Guerra Colonial
*Nacionalismo Corporativo
*Intervencionismo Económico-social
*Imperialismo Colonial
*Constituição de 1933
*Ditadura Militar


< As imagens de propaganda remetem para a figura de Salazar igualando-se a D. Afonso Henriques na fundação da nacionalidade, para a importância dos Descobrimentos para o povo português e para o voto no Estado Novo.


Adriana Meneses Nº1 11ºE

daniel disse...

"Não discutimos Deus e a virtude; não discutimos a Pátria e a sua história; não discutimos a autoridade e o seu prestígio; não discutimos a família e a sua moral; não discutimos a glória do trabalho e o seu dever."

Oliveira Salazar, discurso em Braga, 1936

“Sim, é o Estado Novo, e o povo
Ouviu, leu e assentiu.
Sim, isto é um Estado Novo,
Pois é um estado de coisas novas
Que nunca antes se viu.

(…)

Visão Grande ! Ódio à minúscula!
Nem para prová-la tal
Tem alguém que ficar triste:
União Nacional Existe,
Mas não união nacional.

(…)

Que a fé seja sempre viva,
Porque a esperança não é vã!
A fome corporativa
É derrotismo. Alegria!
Hoje o almoço é amanhã.”

Fernando Pessoa
29-7-1935


I-) Palavras que caracterizam o Estado Novo:
-Estado forte;
-nacionalismo corporativo;
-intervencionismo económico-social;
-imperialismo colonial;
-censura;
-repressão;
-polícia política salazarista a PIDE;
-Américo Tomás;
-Salazar;
-instituições repressivas;
-guerra colonial;
-Marcelo Caetano.

II-) No cartaz de propaganda à União Nacional utilizam-se símbolos históricos e nacionais, que remetem directamente para um passado glorioso (na mentalidade nacionalista da época). Sendo o Estado Novo um regime essencialmente nacionalista, toda a simbologia propagandística espelha valores pátrios indiscutíveis, aos olhos do governo, portanto: a caravela, com a cruz de Cristo – símbolo de um Império que vai do Minho a Timor -, de onde se destacam as datas 1925 e 1934, a primeira representada por tempestade (Portugal antes do golpe militar de 28 de Maio e do Estado Novo, tenebroso e obscuro, perdido nas trevas), a segunda iluminada por uma efígie feminina que segura o brasão de Portugal, representando o Estado Novo, que ilumina e guia Portugal a um novo destino glorioso.
A mesma simbologia é usada nas restantes propagandas, como a que refere: “Portugueses votai no Estado Novo”, e uma mão completa o brasão de Portugal (nele se lê a inscrição Pátria), como se votar no Estado Novo representasse o complemento do destino do próprio país, sendo este um puzzle incompleto que apenas o estado corporativo, conservador, nacionalista e autoritário salazarista pudesse concluir. Diante desta imagem, a torre de Belém, símbolo de um período áureo da história de Portugal, e que os Estado Novo cultivou bastante – os descobrimentos e o Império.
……
Já dizia o Fernando Pessoa:

“António de Oliveira Salazar
Três nomes em sequência regular…
António é António
Oliveira é uma árvore.
Salazar é só apelido.
Até aí está bem.
O que não faz sentido
É o sentido que tudo isto tem.

Este senhor Salazar
É feito de sal e azar.
Se um dia chove,
A água dissolve
O sal,
E, sob o céu
Fica só o azar, é natural.


Oh, c’os diabos!
Parece que já choveu…

«Um sonhador nostálgico do
Abatimento e da decadência.»”

(…)
Fernando Pessoa – 29-3-1935

Nº10
11ºD

Bibliografia:
LOURENÇO, António Apolinário (selecção e organização de textos), Fernando Pessoa contra Salazar, Angelus Novus, Editora, 2008.

Anónimo disse...

No texto encontramos palavras que caracterizam o estado Novo, tais como:
Dissolve; extingue; ditadura militar; republicanos conservadores; fascistas; Oliveira Salazar; novo regime; nova constituição; recusa do demo-liberalismo; nacionalismo corporativo; intervencionismo economico-social; imperialismo colonial; censura; opiniões discordantes; repressão; opositores; policia politica.
No cartaz de propaganda à votação na união nacional a simbologia utilizada é do tipo nacionalista pelo que representa as quinas da bandeira portuguesa como se fossem a própria nação, tem um caracter patriótico bastante relevante.

Rute Roque

Ana Filipa disse...

As palavras que caracterizam o Estado Novo são: Oliveira Salazar, nacionalismo corporativo, imperialismo colonial, Guerra Civil de Espanha, política salazarista, PIDE, Humberto Delgado, Américo Tomás e guerra colonial.

A simbologia utilizada no cartaz de propaganda à votação na União Nacional é alusiva à história de Portugal, como por exemplo os Descobrimentos.

Ana Filipa
11ºE

Anónimo disse...

As palavras do texto que retratam o Estado Novo são:
Nacionalismo
Fascismo, Ditadura militar, Oliveira Salazar, Censura, Polícia Política - PIDE,Humberto Delgado, Américo Tomás, Marcelo Caetano,
Instituições repressivas, Guerra Colonial.

A União Nacional apresenta um puzzle que representa a Pátria, onde falta colocar uma peça, que é o voto dos portugueses.
Assim, a União Nacional, pretendia mostrar aos portugueses que era essencial eles votarem para a Pátria estar completa. Dando a ideia que tinham um papel importante na vida política do país, ainda que isso fosse fantasioso.

Carolina Caetano
nº2 11ºD

Anónimo disse...

As palavras que encontrei no texto que caracterizam o ESTADO NOVO são:

-Oliveira Salazar
-Fascismo
-Nacionalismo
-Fascismo
-Intervencionismo económico-social
-PIDE
- Instituições Repressivas
- Guerra Colonial
-Humberto Delgado
-Marcelo Caetano
-Américo Tomás


A simbologia utilizada na propaganda à União Nacional remete-nos para os grandes feitos dos portugueses, descobrimentos, através da caravela, estando também representada a nossa bandeira. Com estes símbolos este partido quereria demonstrar que se confiassem os seus votos à União, Portugal teria de volta o espírito conquistador que teve outrora.







José Emanuel
nº 15

Anónimo disse...

1-Caracterização do Estado Novo:
-Ditadura Militar
-Oliveira Salazar
-Estado Forte
-Nacionalismo Corporativo
-Intervencionismo Económico-Social
-Imperialismo Colonial
-Censura
-Repressão
-PIDE (policia política)
-Américo Tomás
-Marcelo Caetano
-Guerra Colonial

2- O cartaz de propaganda à votação na União Nacional servia como uma alusão à ideia de que era necessário que todos os portugueses se unissem e votassem. Mostra um regime com uma mentalidade nacionalista e que nos remete às glórias do passado, com a utilização de símbolos históricos nacionais, mostrando que os portugueses poderiam voltar a “navegar na bonança” ou que este “puzzle”, com a sua ajuda através do voto, ficaria completo. Era importante mostrar às pessoas que ao votarem estariam a assegurar um futuro melhor e mais próspero, uma pátria forte e convicta, como havia sido antes.


nº7 11ºE

Anónimo disse...

Os termos mais importantes para caracterizar o Estado Novo são: ditadura militar, fascismo, Oliveira Salazar, Constituição de 1933, PIDE, Humberto Delgado e Américo Tomás

A simbologia utilizada nos cartazes foi a de fazer uma comparação com os Descobrimentos e o rumo que Portugal tomaria se votasse a favor da União Socialista, o puzzle que representa Portugal, ficara concluído apenas com o voto dos cidadãos portugueses e a representação de Salazar como um combatente tendo como objectivo “salvar” Portugal.

Alexandra Fernandes
Nº 2 11ºE

Anónimo disse...

No texto, as palavras que ilustram o estado novo sao:

- Nacionalismo,
- Fascismo,
- Oliveira Salazar,
- Américo Tomás,
- Humberto Delgado,
- Constituição (1933),
- PIDE,
- Instituições Repressivas,
- Guerra Colonial

As imagens utilizadas como forma de propaganda ao estado novo levam-nos a lembrar os feitos dos portugueses durante os descobrimentos.

Inês Santos, nº13, 11ºE

João Costa disse...

Neste cartaz António de Oliveira de salazar é apresentado como d.afonos henriques, isto é, "salvador da pátria". Palavras que retratam o estado novo: fascismo, Pide, guerra colonial, instituições repressivas, ditadura militar, liberalizacão, repressão, opositores, humberto delgado, américo tomás, regime corporativista. A designação de "Estado Novo", criada sobretudo por razões ideológicas e de propaganda, quis assinalar a entrada numa nova era, aberta pela Revolução Nacional de 28 de Maio de 1926, marcada por uma concepção antiparlamentar e antiliberal do Estado. Neste sentido, o Estado Novo encerrou o período do liberalismo em Portugal, abrangendo nele não só a Primeira República, como também o Constitucionalismo monárquico.
O fundador do estado novo e seu lider foi Oliveira Salazar, daí o estado novo ser chamado de salazarismo também.
A Ditadura Militar e o Estado Novo de Salazar e Marcelo Caetano foram , conjuntamente, o mais longo regime ditatorial na Europa Ocidental durante o séc. XX, estendendo-se por 48 anos.

João Costa n.14 11E

Anónimo disse...

As palavras que retratam o estado novo no texo sao:Ditadura,Oliveira Salazar,PIDE,Nacionalismo,censura, fascistas,Américo Tómas,Marcelo Caetano e Guerra colonial.

A imagem que retrata a propaganda do estado novo é simbolizada pela centro da bandeira portuguesa sem a esfera armilar que mostra os escudos e os castelos

Óscar

Anónimo disse...

Os termos mais importantes para caracterizar o Estado Novo são: ditadura militar, fascismo, Oliveira Salazar, Constituição de 1933, PIDE, Humberto Delgado e Américo Tomás

A simbologia utilizada nos cartazes foi a de fazer uma comparação com os Descobrimentos e o rumo que Portugal tomaria se votasse a favor do Estado Novo, o puzzle que representa Portugal, ficara concluído apenas com o voto dos cidadãos portugueses e a representação de Salazar como um combatente tendo como objectivo “salvar” Portugal.

Alexandra Fernandes
Nº 2 11ºE

Anónimo disse...

Antecedentes:

Entre 1926 e 1933, Portugal viveu um período de Ditadura Militar.


Em consequência, as liberdades individuais foram suspensas, os opositores políticos presos e o poder passou para os militares que, face à gravidade da situação económica, chamaram para ministro das Finanças um professor da Universidade de Coimbra, António de Oliveira Salazar (1928).


Impondo ao país uma política de forte autoridade, Salazar equilibrou as contas públicas, o que lhe granjeou grande prestígio.


Ana Fonseca. 11ºD. Nº3.

Anónimo disse...

As palavras do texto que caracterizam o Estado Novo são:

- Ditadura militar;
- Fascistas;
- Oliveira Salazar;
- Constituição de 1933;
- Estado forte;
- Nacionalismo corporativo;
- Intervencionismo económico-social;
- Imperialismo colonial;
- Censura;
- Repressão;
- PIDE;
- Humberto Delgado;
- Américo Tomás;
- Marcelo Caetano;
- Instituições repressivas;
- Guerra colonial.


No cartaz a simbologia propagandística baseava-se no nacionalismo lusitano, nomeadamente a formação da pátria (Salazar como refundador de Portugal, prosseguindo o trabalho de Afonso Henriques); os descobrimentos e o Imperialismo Colonialista (um império que ia do Minho até Timor) representado pela caravela; e o brasão de Portugal, juntamente com a Torre de Belém, representando a grandeza da pátria.


Margarida Gomes
Nº16 11ºD

Anónimo disse...

Estado Novo: é o nome do regime político autoritário e corporativista de Estado que vigorou em Portugal durante 41 anos sem interrupção, desde 1933, com a aprovação de uma nova Constituição, até 1974, quando foi derrubado pela Revolução do 25 de Abril. Ao Estado Novo alguns historiadores também chamam "II República" [1], embora tal designação jamais tenha sido assumida pelo próprio regime.

Ana Fonseca. 11ºD. Nº3.

Anónimo disse...

Edificação do Estado Novo

Em 1932, foram aprovados os estatutos daquele que seria o único partido político autorizado no país, a União Nacional. Intimamente ligado ao governo, era chefiado por Salazar .

Em 1933, foi aprovada a Constituição que pôs fim à Ditadura Militar e consolidou o Estado Novo. O novo texto constitucional consagrava a divisão dos poderes e o recurso a eleições para os órgãos de soberania, e reconhecia os direitos e liberdades dos cidadãos.

Ana Fonseca. 11ºD. Nº3.

Anónimo disse...

Com base no texto, as palavras que caracterizam o Estado Novo são: Ditadura Militar, Oliveira Salazar, Novo Regime, Nacionalismo, Fascistas, PIDE, Humberto Delgado, Américo Tomás, Guerra colonial, Marcelo Caetano, Democracia, Censura, demo-liberalismo e Estado Forte.
Relativamente às imagens utilizadas no cartaz de propaganda estas dizem respeito há existência de valores que permanecem em Portugal e há existência de mensagens alucidativas que têm como principal objectivo conquistar a adesão da população portuguesa no voo do Estado Novo.

Ana Margarida nº4 11ºE

Anónimo disse...

1. RETIRE DO TEXTO AS PALAVRAS QUE CARACTERIZARAM O ESTADO NOVO.
- Oliveira Salazar, Constituição de 1933, nacionalismo corporativo, intervencionismo económico-social, imperialismo colonial, censura e repressão, PIDE, Marcelo Caetano e guerra colonial.

2. QUE SIMBOLOGIA FOI UTILIZADA NO CARTAZ DE PROPAGANDA À VOTAÇÃO NA UNIÃO NACIONAL?
- No cartaz de propaganda utilizaram-se elementos nacionais que, de acordo com uma caracteristica do Estado Novo, o nacionalismo, indicam o importante papel de Portugal nos descobrimentos. Estes elementos e a frase que se encontra em grande plano têm o objectivo de conquistar a população a aderir ao novo regime.

Daniela, 11ºD

Anónimo disse...

Gente tão ignorante. Salazar tinha como base o Nacionalismo, a União e o Cooperativismo. Durante este regime, Portugal foi o 12 maior país do mundo , tinha a 4ª maior reserva de ouro a nível mundial, a 5ºdivisa mais forte do globo, divida externa mais baixa da europa, taxa de investimento a 36% , 5ºparque quimico da europa, poderosa industria textil e chegou-se a atingir um crescimento de 10% ao ano, nunca antes visto em Portugal. Era-mos um país pluricontinetal e multiracial. Fomos um dos primeiros países no mundo a não descriminar as pessoas pela raça, e onde todos eram considerados iguais sem discriminação da cor.
As perseguições políticas não eram assim tão exageradas, até foram das mais brandas quando comparados com outros regimes autoritários. e só tinha-mos 121 presos políticos e não milhares como várias pessoas dizem.
Agora anda-mos a nos sustentar da esmola alheia, do que os outros países nos dão.

Glória Rodrigues disse...

Gente tão ignorante!!!! mas que não dá erros ortográficos graves.
A história é uma ciência, não se compadece com clubismos ideológicos.
Já lhe chega a subjectividade que lhe é inerente. Mas a liberdade de expressão foi uma conquista que Salazar nunca admitiu, como todas as outras. Assim aqui vai publicado o seu comentário ANÓNIMO.